Smartphone Multilaser M5

Publicidade
Quando falamos de smartphones, quais marcas vêm à sua cabeça de bate pronto? Com certeza você pensou na Apple, Sony, Samsung, LG e Motorola. E se eu te falar que a Multilaser também fabrica celulares?

Oi?

É isso mesmo que você leu. A fabricante faz celulares de dois, três e até quatro chips, mas o Multilaser M5 surpreende por ter uma telona de 5 polegadas, processador Dual-core, um desempenho de fazer inveja a qualquer celular de entrada (e quem sabe a alguns intermediários) e um preço bastante competitivo para essa categoria. Vamos ver o que o telefone pode oferecer para o usuário final.

Boa configuração


Equipado com um processador de arquitetura ARMv7 Dual-core de 1 GHz, 512 MB de RAM e 4 GB de armazenamento interno (aproximadamente 2,5 GB estão disponíveis para uso), ainda é possível expandir até 32 GB via cartão microSD. O M5 traz como sistema operacional o Android 4.1.1, também chamado de Jelly Bean. Ele foi um pouco customizado, mas a interface é agradável e dá para deixar o celular com a sua cara.

No primeiro e tão famoso teste, abrimos e fechamos aplicativos, navegamos entre menus, telas e tudo se comportou muito bem. Ao rolar as telas, não notamos engasgos e mesmo com muitos aplicativos abertos, não tivermos problemas. Claro que não poderíamos de jogar e aqui o resultado continuou sendo surpreendente. Angry Birds Space, Cut the Rope, Subway Surfers, Temple Run 2 e Bad Piggies fluiu que foi uma beleza. Algumas travadinhas aconteceram com Beach Buggy Blitz e Jetpack Joyride, mas ainda sim deu para jogar na boa. Mas as grandes surpresas ficaram por conta de Dead Trigger e Vector, jogos que sempre não rodam bem na maioria dos telefones e no M5 a jogabilidade foi muito boa.

Na hora dos benchmarks, instalamos e rodamos os aplicativos Antutu e Quadrant (ambos disponíveis de graça no Google Play). O primeiro, que avalia o smartphone da Sony no processamento aritmético e gráfico, atingiu 6882 pontos. No segundo, que mede a capacidade de processamento de aparelhos Android, o smartphone da Multilaser marcou 2874 pontos. Resultados razoáveis para um telefone com configuração intermediária.

Outros dois testes com benchmarks são o Nenamark1 e Nenamark2. Em ambos é medida a taxa de quadros por segundo que o smartphone é capaz de reproduzir. É bom salientar que o ideal são 30 FPS para que não haja nenhum tipo de engasgo. No primeiro, o M5 chegou aos 55,8 FPS, enquanto no segundo a taxa despencou para 27,8 FPS. O curioso é que mesmo com esses resultados o desempenho com jogos não decepcionou. Compare esses números com outros smartphones na página de reviews do Bondfaro.

Conectando!


Utilizando chips SIM tamanho normal e suportando redes 3G, o smartphone conecta-se via Wi-Fi 802.11 b/g/n, tem Bluetooth e GPS. O GPS, aliás, demorou a captar o sinal.

A embalagem traz, além do aparelho, a fonte de energia, o cabo USB para transferência e carregamento, manual de instruções, um headset, uma flanela para limpar a tela e uma película protetora, para o usuário já impedir que riscos indesejados estraguem a tela do celular.

No gerenciamento dos chips, é possível indicar com qual chip você irá realizar ligações, chamadas de vídeos, enviar SMS ou utilizar a rede de dados ou optar pela escolha no momento do uso do serviço. A única exceção são os dados, pois é preciso definir qual chip irá ser utilizado.

Telona grande e sensível


Munido de uma tela LCD de 5 polegadas com resolução de 800 por 480 pixels, o Multilaser M5 não traz proteção contra riscos na tela (por isso oferece a película logo de cara), suporta vários toques ao mesmo tempo, possui boa sensibilidade e os toques são precisos. O teclado QWERTY virtual tem teclas com bom tamanho e dá para digitar numa boa.

O brilho é bom, o que possibilita uma visualização agradável mesmo em lugares muito iluminados. A parte ruim é que se você tentar ver lateralmente as imagens, a tela escurece ou as cores ficam invertidas.

Grandalhão e pesado


Com 280 gramas e medidas nada pequenas (7,6 x 17 x 1,1 cm - LxAxP), o acabamento do Multilaser é um ponto fraco, pois o aparelho é todo de plástico, o que o deixa mais frágil. Mas também não era de ser esperar algo melhor em um aparelho com preço baixo. A ergonomia não é das melhores e é preciso segurá-lo com as duas mãos para manuseá-lo.

No quesito físico, o M5 traz um conector P2 para headset ou fone de ouvido e o botão Liga/Desliga na parte superior, do lado esquerdo está o controle de volume e na parte de baixo tá a porta microUSB. A tampa traseira é removível, onde é possível o acesso à bateria e aos slots para os chips e microSD.

Os botões do Android (Voltar e Menu) ficam abaixo da tela e são sensíveis ao toque. Já o botão Home é físico e fica entre eles.

Multimídia não é o forte


Mesmo munido de reprodutores de áudio e vídeos, não conseguimos reproduzir muitos formatos de vídeo. Por isso baixamos o MX Player e rodamos 3GP, AVI, MP4 e WMV. Vídeos em full HD rodam, mas os lags são constantes. Nas músicas, tocamos AAC, MP3, WAV e OGG. Nas imagens, o celular aceita BMP, PNG e JPEG. Se você gosta de rádio FM, ele também está presente no Multilaser M5. O alto-falante produz um som forte, mas com pouca qualidade. Os fones de ouvido oferecem um som abafado e a experiência não é das melhores.

Já no quesito fotos, o celular conta com duas câmeras: uma traseira de 2 megapixels e outra frontal de 0,3 megapixel. As fotos não ficam com boa qualidade e os vídeos também não. Ainda existem alguns poucos efeitos para adicionar, como sépia, negativo e preto e branco, mas fica claro que essa câmera deve ser usada apenas em emergências, para não perder o momento caso não esteja com nenhuma câmera de qualidade nas mãos.

Bateria resistente


Equipado com uma bateria de 2150 mAh, realizamos nossos testes padrão, deixando Wi-Fi ou 3G ligado o dia todo (o Wi-Fi foi utilizado praticamente em 90% do teste), acessamos e-mails, redes sociais e notícias na internet (uma hora), streaming de vídeo, jogos, navegação GPS e ligações (30 minutos cada tarefa), 10 fotos, 5 minutos de vídeo e visualização das imagens. No restante do tempo, o smartphone permaneceu em Stand By. Com o brilho da tela em 50% e atualizações automáticas desligadas, tiramos o celular da tomada às 10h45 e às 20h ainda restavam 35% da bateria. Ou seja, ele vai suportar o dia todo numa boa.

Visão geral do smartphone Multilaser M5.

Todo de plástico, o celular é grande e pesado, o que pode incomodar.

Conclusão

Renan FrizzoPor: Renan Frizzoem 29/7/2013

Se você não quer gastar mundos e fundos por um smartphone, mas quer curtir redes sociais, jogos e navegação na internet sem gastar muito, o Multilaser M5 pode suprir suas necessidades. Com boa performance com variadas aplicações, tela sensível e bom brilho, o telefone peca pelo espaço limitado para aplicativos (já que nessa versão do Android não dá para mover os apps para o cartão de memória), câmeras de baixa qualidade e pelo peso avantajado.

Contras:

- Pouco espaço para instalar aplicativos;
- Câmera produz imagens com baixa qualidade;
- Pesado e é preciso segurar com as duas mãos para digitar.

Prós:

- Desempenho surpreendente mesmo com aplicações mais pesadas;
- Visor possui brilho que permite boa visualização em locais com bastante luz;
- Boa sensibilidade da tela.

Opinião dos Consumidores

9Baseada em 25 opiniõesEnvie sua opinião
Funções e Características
          10
Facilidade de Uso
          10
Duração da Bateria
          6
Durabilidade
          9
Display
          10
Design
          9
Custo-Benefício
          9
Câmera
          7
96%Dos consumidores recomendam este produto

O que dizem os consumidores sobre esse produto:

Ficha técnica

Informações Básicas
TipoSmartphone
MarcaMultilaser
ModeloM5
ChipsDual Chip
Câmera
Câmera Traseira5.0 Megapixels
Câmera Frontal0.3 Megapixels Frontal
Tela
Tamanho da Tela5.0 polegadas
Resolução800 x 480 Pixels
Hardware
Velocidade do Processador1 GHz
Memória Interna4 GB
Software
Sistema OperacionalAndroid
VersãoJelly Bean
Características e Conectividade
RecursosBluetooth, MP3 Player, Rádio