Smartphone LG G Flex

Publicidade
>>>> ASSISTA O VÍDEO DE REVIEW DO LG G FLEX

A LG trouxe para o mercado brasileiro o smartphone G Flex, primeiro aparelho premium do Brasil a ter design curvo, inclusive a bateria. A configuração é parruda. O processador é um Qualcomm Snapdragon 800 quad-core de 2,26 GHz, com GPU (processador gráfico) Adreno 330 e com 2 GB de memória RAM. O armazenamento é de 32 GB e não há slot para expansão. A bateria tem capacidade de 3.400 mAh, também algo que chama a atenção, já que a maioria dos smartphones utiliza uma capacidade média de 2.100 mAh.

Segundo pesquisas da empresa coreana, o formato curvo é mais ergonômico e confortável aos olhos e se adapta mais naturalmente ao corpo humano. Será? O que verifiquei de imediato é que esse novo formato de tela reduz a distância entre a boca e o microfone, melhorando assim, a qualidade da fala e da audição. Outro ponto a favor da tela curva é uma experiência melhor para assistir vídeos ou jogar, uma vez que o formato reduz a incidência de luz e reflexos na tela do smartphone.

Tecnologia Self Healing


Outra novidade é a presença da tecnologia Self Healing, que é algo parecido com a pintura utilizada no setor automotivo, que regenera os pequenos riscos causados no cotidiano em alguns minutos em temperatura ambiente. Isso acontece porque a parte traseira é coberta por uma fina capa transparente de um polímero que esquenta e faz com que os riscos desapareçam.

Já posso dizer aqui que foi um dos primeiros testes que fiz. Usei uma chave comum de porta e fiz um risco exercendo pouca pressão, portanto, parecia um arranhão na pintura. E este arranhão sumiu. Testei novamente com um pouco mais de força, porém, ainda tomando cuidado. O risco ficou um pouco mais fundo. Passados alguns segundos, o risco parecia um arranhão na tinta, mas ainda era possível enxergá-lo. A conclusão é que esta tecnologia realmente protege a parte de trás do G Flex, mais do que smartphones que não usam esta tecnologia, mas ela não faz milagre.

A tela curva, o acabamento e dimensões


O G Flex utiliza display OLED de plástico (P-OLED), com 6 polegadas e resolução HD (720 x 1280 pixels). A proteção que fica em cima do display OLED é de acrílico. Segundo a LG, é um acrílico resistente a arranhões, tratado a uma temperatura superior ao acrílico comum. Na prática verifiquei que é verdade; a tela é bastante "dura" e, apesar da curva no plástico, não há nenhuma imperfeição, oferecendo visualização uniforme em toda a área. Durante todo o tempo de teste, no qual eu guardei o telefone na mochila, levei no bolso e deixei em cima da mesa, a tela não sofreu nenhum arranhão.

As bordas são revestidas de metal e quando o G Flex é colocado com a tela para baixo, apenas os cantos de metal encostam na mesa, o que faz com que a tela fique protegida. Outro detalhe: nesta posição, o G Flex suporta uma pressão de até 32 quilos. Fiz o teste apoiando a mão e fazendo força até que ele ficasse inteiramente paralelo com a mesa - sim, ele ficou reto! - claro, ao soltar, ele volta imediatamente à posição curva. Portanto, o nome Flex faz sentido.

Só há um botão físico e fica na parte traseira. É um botão multi-função, exatamente igual ao utilizado no smartphone LG G2, chamado de Smart Button. Ele fica localizado ergonomicamente na parte traseira de modo que possamos acessá-lo com o dedo indicador e concentra as funções de liga e desliga, ajuste do volume, disparo de fotos (selfie) e desligamento do alarme quando o aparelho está com a tela virada para baixo.

Desempenho


Um ponte forte do G Flex é o desempenho. O sistema Android customizado pela LG tem telas que fluem muito suavemente, as aplicações abrem rapidamente e a execução também é rápida. Nenhum aplicativo ficou lerdo no G Flex ou teve problemas de lags durante a execução. Rodamos jogos como Real Racing 3, Frontline 2, Dead Trigger 2, Asphalt 8 e todos rodaram sem a menor dificuldade. Assistir a vídeos também foi uma tarefa fácil para o G Flex. Apesar da versãdo Android ser a 4.2.2 (a mais atual até a data deste review é a 4.4.2), a customização que a LG fez obteve diversas funcionalidades. Por isso não considerei um ponto negativo a versão estar atrasada.

Por exemplo, os menus de acesso a brilho da tela, ajustes de sons (telefone, multimídia e alarme) aparecem como atalhos na barra de notificações, o que torna muito fácil o acesso a essas configurações. Outro destaque é quando desbloqueamos o telefone segurando-o na horizontal: usando dois dedos a partir do centro da tela, arrastamos os dois dedos para as extremidades e então aparece um menu com atalhos para o acesso a vídeos, músicas e Youtube. Bem interessante para acessar rapidamente o conteúdo multimídia e já com o telefone na horizontal.

Vale uma observação aqui: durante o jogo e a execução de vídeos, notei que a tela curva ofereceu uma experiência um pouco melhor do que as telas planas. A curvatura ajuda a eliminar reflexos (a não ser que você esteja em local muito iluminado); além disso, a pegada nas duas extremidades do aparelho é mais ergonômica quando você está jogando.

Rodamos também aplicativos de benchmarks, que mensuram poder absoluto de processamento gráfico e aritmético. Eles não refletem experiência de uso do smartphone, mas são interessantes para fazer comparações com outros aparelhos. Primeiro rodamos o Antutu X, que chegou a 34.733 pontos. Em seguida rodamos o Quadrant, que marcou 20.331pontos e, por fim, rodamos o 3DMark, exclusivo para verificar desempenho gráfico, que fez 17.596 pontos no modo Unlimited, que é o modo que mais exige do hardware.

E se você quiser rodar esses benchmarks no seu telefone, basta baixa-los da Play Market e executar. Também veja aqui o review de outros smartphones para fazer a comparação com os resultados do G Flex. O que posso dizer é que esses resultados são dignos de uma configuração top-de-linha.

Sobre a tela tenho a escrever um ponto negativo. Se o brilho estiver em 50%, a imagem fica com ruídos. Isto significa que é possível enxergar pixels, como se estivesse faltando completar espaços entre os pixels. Isto nunca aconteceu em outros smartphones que testei. A imagem melhorou bastante quando deixei o brilho em 70%.

Câmera faz vídeos na resolução 4K


A câmera do G Flex faz fotos em 13 megapixels e vídeos em 4K (Ultra HD, 4 vezes mais definição do que o full HD). A qualidade das fotos é ótima e há vários recursos na câmera. Na verdade são 11 modos de fotos mais o modo automático. Este último já consegue obter ótimos resultados. Alguns modos valem ser citados. O modo HDR, que torna as cores e brilho mais vivos em situações de pouca iluminação. O modo panorâmica faz fotos interessantes em grande angular. O modo IA (inteligente automático) identifica a cena e ajusta as opções de abertura e velocidade do obturador. E por fim o modo câmera dupla que tira fotos coma a câmera frontal e traseira simultaneamente. O vídeo apresentou ótima qualidade e foi o primeiro telefone que testamos que filma na resolução de 4K. Só notamos que o G Flex não permite filmar mais do que 5 minutos nesta resolução. Ele emite um aviso explicando que esse tempo é para manter a temperatura estável (apesar de que ele não esquentou mais do que o comum). Não tínhamos TV em 4K para assistir ao resultado, mas posso dizer que a estabilização e a qualidade da imagem é ótima, mesmo assistindo em uma TV com resolução full HD.

A câmera frontal tira fotos em 2,1 megapixels e vídeos em full HD.

Outros destaques


- Sistema Knock On
Para facilitar o acesso do usuário à tela inicial do aparelho, o G Flex vem com a tecnologia Knock On, uma inovação da LG que ativa e desativa o aparelho com dois simples toques na tela. Este recurso funcionou muito bem e facilita mesmo, pois não é preciso ficar localizando o botão de liga e desliga.

- Quick Memo
O G Flex também tem acesso rápido ao aplicativo QuickMemo. No painel deslizante, com um toque, é possível acessar o aplicativo no qual é possível editar, desenhar ou fazer comentários em tempo real diretamente na tela capturada, sem o uso de acessório específico, apenas usando o dedo, e compartilhar imediatamente via bluetooth, SMS, e-mail ou redes sociais.

- QSlide
Com esta função podemos ver duas aplicações ao mesmo tempo. Por exemplo, posso estar lendo o email e deixar o calendário aberto para poder me organizar melhor. Ou então deixar o youtube aberto em uma pequena janela e continuar trabalhando ou acessando outro aplicativo. O QSlide funciona com vídeos, navegador, telefone, mensagens, calendário, e-mail, notas, calculadora e o gerenciador de arquivos. É um bom recurso para telas grandes.

- Quick Theater
Este é um recurso que, além de prático, tem um visual interessante. Ao segurar o telefone na horizontal é possível usar os polegares na tela de bloqueio e arrastá-los do centro para as laterais e assim abre-se uma cortina exibindo as opções vídeo, fotos e Youtube. Este recurso facilita o acesso ao conteúdo multimídia além do aparelho já ficar na vertical (geralmente vemos fotos e vídeos nesta posição de tela).

- Dual Window
Neste recurso usuário pode dividir a tela em duas partes e, assim, ter acesso a mais de uma informação ao mesmo tempo. Assim como o QSlide, o Dual Window também é muito funcional para telas grandes como a do G Flex.

- Modo convidado
Uma função bem legal para mostrar seu G Flex às pessoas. Elas terão acesso somente aos aplicativos que você configurou nesse modo. Bem útil para quem tem filhos. Ou então para não mostrar informações confidenciais.

Duração de bateria
O G Flex usa uma bateria de 3.400 mAh. É uma capacidade e tanto para um smartphone. Para se ter uma ideia, existem tablets de sete polegadas que não chegam a essa capacidade. Para testar, utilizamos nosso procedimento padrão. Tiramos o aparelho da tomada às 8 horas da manhã. Fizemos dez fotos e um vídeo de cinco minutos. Em seguida usamos o GPS por 30 minutos (com acesso a web via 4G da Vivo para carregar o mapa). Fizemos chamadas no total de 30 minutos. Navegamos na web durante três horas (acessamos sites, e-mails e redes sociais). Jogamos por 20 minutos. Assisti a vídeos no Youtube por 10 minutos. Mais 15 minutos foram usados para exibir as fotos e o vídeo feitos.

Importante dizer que deixamos o brilho da tela em 70% do total (motivo que explico no último parágrafo do item Desempenho). E boa parte do dia, o aparelho ficou em stand by. E para economizar o máximo de energia possível, desligamos a sincronização automática das redes sociais, e-mail e a procura de redes Wi-Fi, itens que consomem boa parte da energia. O NFC e Bluetooth também não foram utilizados. Nestas condições restavam 40% de energia às sete e meia da noite.

É uma ótima duração de bateria. Se o G Flex for utilizado apenas para tarefas cotidianas mais comuns, como verificar e-mails, acessar redes sociais, tirar poucas fotos, com certeza é possível usá-lo por mais de um dia e meio, sem precisar de recarga.

LG G Flex: design diferenciado e configuração para alto desempenho.

Apesar do design, aparelho não incomoda para carregar no bolso.

Conclusão

Rene RibeiroPor: Rene Ribeiroem 25/4/2014

O LG G Flex é um smartphone com configuração top-de-linha e rodou qualquer aplicativo que baixamos nele, mesmo os mais pesados para o processador. A tela é um diferencial por ser curva, e um dos benefícios notados é quando seguramos o telefone na posição wide, para jogar, ver fotos ou assistir vídeos. Outra vantagem, quando o aparelho está virado para baixo (para acionar funções como silenciar toque de alrme ou chamadas) a tela não encosta ne mesa e, sim, apenas os cantos de metal, o que a preserva de arranhões. O aparelho também pode sofrer pressão de até 32 quilos quando está com a tela virada para baixo: fizemos o teste e ele chega a ficar plano e imediatamente volta ao normal quando a força para de ser exercida. A definição é ótima, porém se deixarmos o brilho inferior a 70% do total, as partes mais escuras de uma cena, ficam com ruídos. Isso é perfeitamente perceptível. A câmera de 13 megapixels faz fotos muito boas e há alguns recursos a mais que destacamos no review. A câmera faz vídeos em full HD e ultra HD (4K). O armazenamento de 32 GB foi suficiente para baixarmos vários aplicativos, tirar cerca de 200 fotos e armazenar vídeos em full HD que, somados, totalizaram 30 minutos e ainda sobraram 13 GB. Por fim, a bateria teve longa duração em nosso teste padrão.

Contras:

- Tela apresenta ruídos (pixelização) em partes mais escuras da imagem.
- não há capinhas protetoras para ele.

Prós:

- Ótimo desempenho;
- ótima duração de bateria;
- ótima câmera.

Opinião dos Consumidores

10Baseada em 35 opiniõesEnvie sua opinião
Funções e Características
          10
Facilidade de Uso
          10
Duração da Bateria
          10
Durabilidade
          9
Display
          9
Design
          10
Custo-Benefício
          7
Câmera
          9
94%Dos consumidores recomendam este produto

O que dizem os consumidores sobre esse produto:

Comparando com os concorrentes

 
Produto
Smartphone LG G Flex
Smartphone Apple iPhone 5S 32GB
PreçoAvise-me quando estiver disponívelR$ 2.525,52
NotaNaN8
Posição no Ranking de
Celular e Smartphone
-de 485
Prós
  • Ótimo desempenho;

     

  • Ótima duração de bateria;

     

  • Ótima câmera.

  • Desempenho continua excelente;

     

  • Tela Retina segue como destaque;

     

  • Câmera captura ótimos cliques

     

  • Conectividade apurada.

Contras
  • Tela apresenta ruídos (pixelização) em partes mais escuras da imagem.

     

  • Não há capinhas protetoras para ele.

  • Bateria segue como grande problema;

     

  • TouchID ainda não possui muita utilidade.

Tela, acabamento e desempenho

A tela de 6 polegadas tem resolução HD e vidro resistente. É o primeiro modelo top de linha com design curvo, o que oferece boa ergonomia e reduz reflexos, além de encaixar bem no corpo. O processador é o Snapdragon 800 quad-core de 2,26 GHz, com 2 GB de RAM e armazenamento interno de 32 GB (sem slot de expansão), que proporciona ótimo desempenho. 

A tela retina de 4 polegadas com resolução de 1136 x 640 pixels tem qualidade impecável. o design agrada com um corpo de alumínio e acabamento em metal e vidro. Equipado com chip A7 Dual-core de 64 bits e 1 GB de RAM, o 5S não deixa a desejar e roda todos os aplicativos sem problema. O armazenamento interno é de 32 GB, sem capacidade de expansão.

Conectividade, câmeras e bateria

Tem 3G, 4G, Wi-Fi, Bluetooth, GPS, NFC, USB e infravermelho (serve como controle remoto). A câmera principal faz fotos em 13 MP e vídeos em 4K (ultra HD) em mais de dez modos distintos; a frontal fotografa em 2,1 MP e filma em full HD. A bateria é um dos destaques: com 3400 mAh, resiste bem a um dia de uso moderado (em nossos testes, restaram 40%).

O aparelho acessa redes 4G e traz GPS, Wi-Fi, Bluetooth 4.0, AirPlay e conector Lightning. A câmera traseira de 8 MP vem com flash LED duplo, garantindo ótimas imagens, além de filmar em full HD. A frontal tem 1,2 MP e grava em HD. A bateria de 1560 mAh aguenta o dia se o uso for moderado. Caso contrário, será preciso mais de uma recarga.

Ficha técnica

Informações Básicas
TipoSmartphone
MarcaLG
LinhaG Flex
ChipsSingle Chip
Câmera
Câmera Traseira13.0 Megapixels
Câmera Frontal2.1 Megapixels Frontal
Tela
Tamanho da Tela6.0 polegadas
Tipo de TelaOLED
Resolução1280 X 720 Pixels
Hardware
Velocidade do Processador2.26 GHz
EntradasUSB 3.0
Software
Sistema OperacionalAndroid
VersãoJelly Bean
Características e Conectividade
InternetWi-Fi
RecursosBluetooth
Bateria
Bateria3500 mAh
Dimensões
Largura81,6 mm
Altura160,5 mm
Profundidade7,9 mm
Peso177 g